COLEÇÃO ACERVO BRASILEIRO

Volume 1,
Contos amazônicos

Contos amazônicos, de Inglês de Sousa.

Publicados em 1893 pela Laemmert & Cia Editores, estes Contos amazônicos aparecem nos nossos dias como o trabalho mais significativo de Marco Herculano Inglês de Sousa (1853-1918), paraense, embora haja outras obras suas de relevo, tanto literárias como livros sobre Direito, matéria da qual foi professor. A obra inglesiana permanece lida e estudada principalmente no Norte, havendo ainda bons artigos acadêmicos publicados em Minas, e raros em outros estados.

Em Contos amazônicos vemos um grande momento da literatura naturalista do Brasil, uma forma de realismo radicalizado na opinião de alguns, em que a relação entre o homem, a terra e a ideia mais ampla da nacionalidade é reivindicada, cheia de expressão, procurando o rumo de uma totalidade. Nacionalista, associado em termos conceituais a escritores combativos como Tobias Barreto, Sílvio Romero e Euclides da Cunha em maior ou menor medida, Inglês de Sousa quis com este livro, entre outras coisas, pôr em evidência um olhar próprio de sua classe social, a classe média urbana do séc. XIX, sobre desdobramentos da malsucedida Cabanagem em comparação com a Revolução Pernambucana, em termos mais éticos, de uma ética revolucionária idealizada, do que propriamente políticos, de pensamento político — emerge aí o mestiço brasileiro como o novo homem que as revoluções sempre prometeram. Há também a denúncia, corajosa àquela altura, do modo como ribeirinhos, principalmente indígenas, eram recrutados a força pelo Exército Brasileiro, como "voluntários da Pátria", para irem morrer na Guerra do Paraguai.

Áreas de interesse: naturalismo, naturalismo brasileiro, Amazônia, conto brasileiro, contos e lendas da Amazônia, revoluções brasileiras.

baixar PDF
início